Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Quatro poemas

Impressionist-painting-of-a-woman-in-black-walking-in-a-city-at-night. Imagem gerada por inteligência artificial.

Ivanes Freitas

A palavra

A palavra morre sempre
que uma boca a pronuncia.
Vai perdendo sua cor
na desordem do discurso. 

A palavra, a que imagino 
nesta minha noite insone,
se dissipa apenas penso
em gravá-la no papel.

A palavra exata sempre 
some quando, furioso,
a pretendo deformar 
em alguma forma escrita.

É por isso, justamente,
que mui raramente escrevo:
eu expresso-me melhor
no silêncio da palavra
não escrita, imaginada.

Em 20 de Setembro de 2021


Descoberta da mulher

Floresce o sonho em sua mão fechada,
os meus instantes de prazer perdido
renascem: ondas de um novo oceano
rebentando nas praias improváveis. 

Esqueço minha sorte em seu silêncio 
que estronda, imenso, madrugada adentro;
e, no quadro incompleto que completo,
descubro um dia ainda a alvorecer. 

Devolve às tardes o calor e a cor,
amiga que compensa cada perda
ofertando manhãs que não mereço. 

A sua mão segura todo um mundo,
é sol e sombra em uma solidão 
que envolve alma tão afeita à espera.

Em 01 de Agosto de 2022


II

e entendo que esperar sustenta o mundo.
(João Filho, Um Sol de Bolso)
Esperando-te, aprendo a ser silêncio. 
E sendo o teu silêncio, sou o espelho 
que, repetindo as pausas musicais,
supre todo o vazio, toda a ausência. 

Esperando-te, aprendo a ser menino. 
Brincando com o tempo prometido,
aprendo o significado das manhãs,
e a música das coisas cotidianas. 

Espera que me ensina a ter a mesma
doçura dos dilúculos no inverno,
completude do que é simplicidade. 

Embora eu saiba tudo transitório,
nada apaga a promessa dessa espera,
antes a deixa ainda mais preciosa.

Em 14 de Outubro de 2022


Paul Éluard, 1946

A noite nunca está completa, sim.

Jamais encontrará, e afirmo-o eu,
no fim do seu desgosto, porta aberta,
e nenhuma janela iluminada. 
- Ninguém está à nossa espera, Paul.

A aurora não acena para nós. 
Os desejos jamais serão supridos,
a fome não será saciada nunca.
E onde encontrar pessoa generosa
que nos estenda a mão, que nos erga?
- Todo mundo nos volta o rosto, Paul.

Só, irremediavelmente só,
nenhuma vida a ser compartilhada,
já que, com a Nusch, tudo mais acaba.

Em 21 de Março de 2021

Compartilhe:

Subscribe
Notificar
Insira seu nome
Insira seu endereço de email
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários