Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Soneto por Ana Eurídice

Daniel F. Gerhartz, "Mulher escrevendo no jardim"

Ana Eurídice Eufrosina de Barandas (1806-1863) foi uma poeta e filósofa brasileira considerada uma das pioneiras da literatura e da filosofia escrita por mulheres no Brasil. Sua obra encontra-se reunida no volume O ramalhete (EDIPUCRS, 1990), que contém o importante Diálogos, considerado o primeiro texto feminista brasileiro.

Como és frágil, humana natureza!

És fantástica vã filosofia:

Teu nome altissonante me iludia,

Pensando nele achar minha defesa!

Tua mal entendida fortaleza

Sugere-se da nossa fantasia:

Nada em ti é real!… Minha agonia

Co’evidência me mostra esta certeza.

Uma simples lembrança me horroriza:

Temo do acaso os seus cruéis azares:

Um nada me flagela e atemoriza!

Já vejo navegando em altos mares…

Sulcar as ondas minha alma já divisa

O meu Jacínio!… Oh céus!… para outros lares!

Compartilhe:

Subscribe
Notificar
Insira seu nome
Insira seu endereço de email
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários