Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Datilograma

Egon Schiele, "Mãe morta I" (1910)
Museu Leopold, Viena

André Lucas

Em teu ventre teceu-se as linhas
da ponta dos meus dedos, linhas isóbaras
que desnivelam-se em amostras do meu tempo.

Por essas linhas coladas na carne
e no cerne do envelhecimento,
não lembro dos toques que originaram
os contornos  — labirintos circulares
que centram os resquícios dos movimentos.

O resto é peripécia da gênese
feito raízes da primeira árvore.

Pelas linhas me cabe uma denúncia
para mapearem minha autoria em cada crime:
flores desfolhadas, abraços sem braços
	e um coração laureado a roxo.

Compartilhe:

Subscribe
Notificar
Insira seu nome
Insira seu endereço de email
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários