Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Revista de Cultura

Search
Close this search box.

Quatro sonetos

"Colosso de Rodes" (1572), gravura por Marten van Heemskerck.

Wallace Silveira Azambuja

Colosso

Ao céu refletem pontas, como raios
(de bronze feitos). Quem no porto chega
coberto é pela sombra, a imponência
do guardião, de pé, formando um arco.

Um deus a pino… homenageado:
por doze anos fora a incumbência;
metais de espólio — após lograr defesa —
serviram para a forja e sustentá-lo.

Tremeluziu por mais de meio século
o fogo em sua mão (no mar aberto
guiando naves que se aproximavam).

Ruiu num dia, por um terremoto…
O fim do monumento e seus destroços…
De quem os viu restaram só relatos.

Aríete

Na pressa por transpor a porta alheia
sem precisar bater (não convidado),
criada foi a chave-mestra: imensa,
manuseada com tração, de arrasto.

Tenaz cooperação da soldadesca;
içado sobre rodas, num estrado…
Mecânico ou braçal, as fortalezas
desabam — com portões e cadeados.

Caprino sitiador, ponta de lança;
largado ao rés do chão, ora descansa:
cumprida sua função de abrir o assalto…

Razão pra ser notado, recolhido;
sofrer eventualmente alguns reparos
— quer sejam novos donos, quer antigos.

Ameias

Remanescente em séculos de história;
de guerras testemunha além do tempo;
da paz quando armistício houve entre os reinos
(cansados de almejar contendas, glórias).

Canhões a postos no seu parapeito;
vigília armada prestes… em remotas
tumultuadas eras, belicosas,
narradas hoje em livros, em compêndios…

Da sábia voz do guia de turismo
escapam sonhos vãos, jamais cumpridos,
levados pela vil carnificina…

Não mais aquele estrépito de tropas,
de circunvoluções, reviravoltas:
de pé somente crônicas, ruínas…

Martine

(baseado no conto de mesmo nome de Guy de Maupassant)

Domingo, em procissão após a missa
trilhavam pai e filha umbral de folhas;
Benoist, atrás, a si mesmo dizia:
"por Deus, Martine até que é bela moça…"

Amou-a, fatalmente, às escondidas;
confesso, ouviu depois de sua boca:
diria o sim a ele, o sim de esposa
— mas soube-se, na igreja, prometida…

Passava um dia em frente ao seu quintal…
Os gritos lá de dentro, percutindo,
clamando por socorro, alguma ação!

Modesto, por instinto natural,
o parto fez do seu amor antigo,
ganhou do esposo agradecidas mãos.

Compartilhe:

Subscribe
Notificar
Insira seu nome
Insira seu endereço de email
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários